Apesar de ser um enduro de regularidade, no primeiro dia do Rally do Pirão (14), os pilotos aproveitaram os estradões do percurso com médias horárias altas para descarregar potência no acelerador. Motos, quadriciclos, UTVs e carros 4 X 4 ficaram bem a vontade no percurso de 375 km entre a cidade de Bacabeira, próximo a São Luís, e Codó, onde a primeira etapa foi finalizada.

https://blu181.mail.live.com/ol/clear.gifhttps://blu181.mail.live.com/ol/clear.gifhttps://blu181.mail.live.com/ol/clear.gifhttps://blu181.mail.live.com/ol/clear.gifPara fazer o tempo de 7h50 de prova, os aventureiros do Pirão também cortaram pequenos riachos secos e encararam muita navegação. Em meio a adrenalina da competição todos tiveram um tempinho para dar uma relaxada na travessia de balsa do Rio Itapecuru, no povoado Trizidela, no munícipio de Cantanhede, no sertão maranhense. “A gente vem na trilha na maior tensão e esse é um momento para darmos uma aliviada e curtimos um pouquinho a natureza”, revelou o piloto Samuel Ricardo, de Teresina.

O trajeto do primeiro dia incluiu ainda a passagem por estradinhas com piso de cascalho, fazendas de criação de gado, trechos com muita areia e florestas de babaçu, planta abundante na região.  “Fiquei satisfeito com o percurso muito legal dessa primeira etapa da prova. Espero que o segundo dia seja melhor ainda”, ressaltou Ketson Aguiar, piloto do Pará.

 

Com a longa duração do primeiro dia de competição, os pilotos aproveitaram bem a passagem nos neutralizados, os pontos de apoio, para recarregar as baterias, além de abastecer os veículos. “O tempo é curto aqui mas dar para lavar o rosto, fazer um lanchinho rápido, e verificar a situação da moto, afinal nós e nem as máquinas somos de ferro”, brincou Robson Neres, da cidade piauiense de Floriano.  

 

Toda essa disposição dos pilotos foi bem apreciada pelos moradores dos povoados e cidadezinhas por onde a caravana do rali passou. No Povoado Floresta, em São Mateus, o aposentado Moisés Paiva Silva, reuniu em frente a sua casa toda a família, incluindo a mulher, filhos, netos e bisnetos para curtir o show dos competidores do Pirão. “Já sou um homem bem vivido, mas gostei muito de acompanhar a coragem dessa turma com minha família, sem precisar sair de casa”, disse ele.

 

Durante toda a prova foi registrado apenas um único acidente. Atingido por outro piloto, Márcio Sousa, de São Luís, se desequilibrou, caindo de sua moto quando estava parado após sua chegada. Márcio recebeu os primeiros socorros pelos paramédicos da prova e depois levado ao hospital público do munícipio. No serviço de urgência ele foi submetido a um raio x e medicado logo em seguida com analgésicos e anti-inflamatórios. O piloto machucou apenas a região lombar, mas não deve seguir na prova.

 

A chegada e o fim do primeiro dia de prova foram na Praça do Viveiro, no centro de Codó. O briefing. Com a divulgação dos resutados, aconteceu as 20h, no auditório da Associação Comercial e Industrial de Codó, que também apoia o evento, ao lado da prefeitura da cidade.

 

 

 

 

Notícias mais recentes

20/01/2019
Programação do primeiro dia do Rally Piocerá 2019
20/01/2019
Equipes começam a chegar em Teresina para o Piocerá 2019
20/01/2019
Presente em todas as edições da prova de Bikes, ciclista de Fortaleza faz história no Piocerá/Cerapió
19/01/2019
Caravana do Rally Piocerá chega em Picos (PI) em 23 de janeiro
18/01/2019
Oeiras está na rota das Bikes do Rally Piocerá 2019