O bicampeão de moto máster das duas últimas edições do Rally Cerapió - Piocerá está de volta, com inscrição confirmada para o Cerapió, que começa no próximo dia 26. E o fato do catarinense Guilherme Cascaes, que também é bicampeão brasileiro de enduro de regularidade (2011 e 2012), ter perdido esse título para o paranaense Emerson Loth, o Bombadinho, na temporada de 2013, não significa que ele se deixou abater. Pelo contrário, Cascaes está focado tanto em busca do tricampeonato da categoria mais forte do off-road no maior rali de regularidade das Américas, quanto também para lutar em busca do título nacional da Confederação Brasileira de Motociclismo – CBM. Na temporada 2013, ele ficou com a terceira colocação nacional, atrás apenas de Bombadinho e do capixaba Jomar Grecco, o vice-campeão.

Cascaes afirmou que tem mantido os mesmos treinos durante todo o ano de 2013 e nem mesmo neste período de fim de ano tem relaxado. “Como o campeonato brasileiro começa em janeiro com o Cerapió, não da para parar de treinar. Tenho me dedicado a treinos funcionais de duas a três vezes por semana,  em torno de 200 km com moto semanal”, avisa a fera.

O piloto diz que o fato de ter vencido as duas últimas edições do Cerapió/Piocerá gera uma certa pressão sobre ele. “Claro que nada melhor que manter o título e começar o campeonato vencendo, mas encaro cada prova como um novo desafio onde vários pilotos têm reais chances de vencer. Estou muito bem e preparado para mais esta grande prova. Com certeza as dificuldades serão grandes. O nível dos pilotos está cada vez mais alto”, pensa o piloto, que disputará novamente a prova numa Yamaha WR 250F.

Cascaes chegou meio que desconhecido em 2011 no Piocerá e já tirando o reinado de alguns favoritos. Ele conta o seu segredo para tanto brilho desde então, quando tem se mantido entre os tops no país. “O Cerapió/Piocerá é uma prova longa, de quatro dias e com oito etapas, onde o mais importante é manter a regularidade durante todos os dias. O condicionamento físico e mental ajuda bastante em provas como essa. Espero um Cerapió bem técnico e uma disputa de ponto a ponto, já que a categoria máster está muito disputada”, conta.

Com relação ao atual campeão brasileiro, Bombadinho, que passou a se dedicar 100% ao enduro de regularidade, Cascaes revela que não chega a ser um ponto negativo para os demais pilotos, que conciliam o enduro com outras atividades profissionais. “Acredito que é uma dificuldade a mais, mas não é impossível, mesmo para quem está iniciando. Prova disso é que meu primeiro título nacional, em 2011, venci pilotos profissionais quando era piloto privado; vai de cada um se dedicar e focar no objetivo”.

O Sul do Brasil tem revelado grandes competidores tanto no Cerapió/Piocerá, quanto em outras provas. Cascaes acredita que isso se deve à organização dos campeonatos. “O Sul sempre teve ótimos pilotos, acredito que devido às copas e campeonatos estaduais fortes. E o Paraná surpreendeu esse ano com apoio da federação, que viabilizou e incentivou a participação de vários pilotos do estado no Brasileiro. Foi com certeza um exemplo a ser seguido pelas demais federações. Acredito que existem ótimos pilotos em vários estados e o Cerapió tem atraído pilotos de todas as regiões devido à grande visibilidade. Esse diferencial deve servir de exemplo para outras provas do Brasil para que tenhamos um campeonato cada vez mais forte e atrativo”, explicou. Cascaes diz ainda que o Rally Cerapió é uma referência para ele e muitos outros competidores. “É uma prova que já tem identidade própria. Mistura paisagens naturais, terrenos variados, técnica, condicionamento físico e muita diversão. É uma prova que eu não deixaria de participar, mesmo que não fosse válido pelo campeonato brasileiro”. 

O Rally Cerapió abre os campeonatos brasileiros de regularidade para carros 4x4, quadriciclos e motos e tem patrocínio da Caixa – Governo Federal; co patrocínio: Governo do Estado do Ceará, Governo do Estado do Maranhão, Governo do Estado do Piauí, Honda e Houston Bike; apoio: Michelin e Prefeitura de Fortaleza; colaboração: Shopping Iguatemi, UCI Cinemas, Prefeitura de Jijoca de Jericoacoara, Prefeitura de Viçosa do Ceará, Prefeitura de Tianguá, Prefeitura de Parnaíba e Prefeitura de Urbano Santos. Ação social: Ótica Jockey e Sesc. Parceiros: Sertão Games, Pag Contas, Vax transportes, Gran Solare Lençóis Resort e Lys Turismo. A supervisão é da Confederação Brasileira de Motociclismo, Confederação Brasileira de Automobilismo e Confederação Brasileira de Ciclismo e das federações de Motociclismo do Piauí, Maranhão e do Ceará e federações de Ciclismo do Piauí, Maranhão e do Ceará.

 

 

Ass. Imprensa
 

Notícias mais recentes

14/11/2018
Presidente da CBM, Firmo Alves, confirma participação na Moto Turismo do Rally Piocerá 2019
02/11/2018
Cearense de Rally Team vem com 13 veículos para o Rally Piocerá 2019
26/10/2018
Prova de bikes do Rally Piocerá desafia atletas de diversas categorias
23/10/2018
Participantes de 21 estados mais o Distrito Federal já estão confirmados no Rally Piocerá 2019
10/10/2018
Começa o levantamento dos trechos do Rally Piocerá 2019